Porto Alegre / RS(51) 3346.9281[email protected]3ª, 4ª e 5ª - Com horário agendado.

Landell de Moura o inventor do rádio

Post 71 of 71
Landell de Moura o inventor do rádio

O Incrível, Misterioso e Polêmico Padre Landell de Moura

O Padre Roberto Landell de Moura – (1861-1928) – foi um homem de extraordinária aptidão para os estudos científicos. Sua mente brilhante percorria muitas áreas do conhecimento científico com muita facilidade. Certamente para ele, os vários nomes que tomam algumas atividades cientificas como a Física, a Química a Medicina, a Parapsicologia, eram meramente uma questão de nomenclatura , pois ele transitava com muita facilidade por todas essas disciplinas. Os que já o conhecem lembram-se ao menos que seu nome está ligado às Telecomunicações, como inventor do aparelho rádio, capaz de comunicar a palavra humana através do espaço sem auxilio de fios.
Pe. Landell de Moura

Conquanto alguns possam obstar incompatibilidades entre uma mente científica e religiosa, padre Landell não se sentia nem um pouco incomodado com isso. Para ele era perfeitamente admissível pensar científica e religiosamente ao mesmo tempo e isso ele o demonstrou durante toda sua vida, não vendo nenhuma incompatibilidade em ter uma mente científica e no sentir religioso. Tanto que declarava: “Quero mostrar ao mundo que a Igreja Católica não é inimiga da ciência e do progresso humano”.

E convenhamos, ele não foi o único homem de incontestável valor científico a pensar assim. Lembremo-nos de Isaac Newton, Albert Einstein, gênios capazes de descobrir leis físicas de transcendental importância e de declarar publicamente seus mais recônditos pensamentos em relação à sua fé.

Newton foi tido por alguns como um ingênuo, em alguns aspectos, mas ele foi capaz de criar o cálculo diferencial e integral, uma ferramenta matemática extraordinária, que se aplica a todos os ramos de ciência; inferiu que a força de atração da gravidade terrestre era uma força que existia em todo o universo.Deduziu a equação que descreve a força de atração gravitacional entre os corpos celestes.

Einstein elaborou sua famosa equação que identifica a massa à energia. Este conceito hoje nos é familiar, mas que custou muitas elucubrações matemáticas e raciocínio de natureza da ciência física a Einstein para dizer que energia é igual à massa multiplicada pelo quadrado da velocidade da luz. ,

Digo, ao menos, pois que alguns que já conhecem o nome de Landell dele se lembram como ligado às Telecomunicações porque a história registrou com muita ênfase o nome de Marconi, ignorando muitos pioneiros nessa área, entre eles seu nome. Sabe-se que muito antes de Marconi, em 1893, padre Landell fez experiências coroadas de êxito na transmissão da palavra humana articulada através do espaço, através de seu Transmissor de Ondas e também através de seu Telefone Sem Fio. Apesar de ter sido ignorado pelas autoridades governamentais de seu tempo, e totalmente sem ajuda, conseguiu patentear seus inventos aqui no Brasil em 1901 e nos Estados Unidos no United States Patent Office, em 1904.

No entanto, ao lado de suas preocupações científicas com as soluções dos problemas de Telecomunicações, Landell tinha uma preocupação muito grande com o Homem, tanto que em 1916, fundou em Porto Alegre o ” Laboratório Antropológico Experimental”, ao lado da Igreja do Rosário, onde foi batizado e mais tarde também pároco e onde estarão seus restos mortais, a partir de 13 de julho de 2002. Com seu espírito sempre na vanguarda, chegou a muitas conclusões que nem sempre mereciam a simpatia de seus superiores religiosos. Para escapar a essa vigilância cerrada publicou muito de seus escritos com o pseudônimo de Bernardus Vallumbrosius.

Landell se ocupou de estudos de Botânica, das plantas, seu poder curativo, estudou questões de parapsicologia. Suas pregações eram muito concorridas.Suas lições de ética e da prática do amor eram avidamente esperadas. Teve encontros com D.Pedro II para conversas de interesse científico tão a gosto do imperador.Em Mogi das Cruzes em São Paulo,onde foi pároco, observou ocorrência de fenômenos paranormais na casa dos Rocha. Conduziu essas experiências, naturalmente com o espírito de um homem religioso, com sua crença católica, mas também com sua arguta mente científica, chegando a muitas conclusões interessantes, tendo naturalmente feito apontamentos de suas experiências, seguindo critérios científicos.

Isto foi em junho de 1906. Landell tirou algumas conclusões do ocorrido:
” Primeira: que existe uma força desconhecida e que segundo os fenômenos que a manifesta, deve ser classificada entre as forças ditas físicas”.
“Segunda: que essa força inteligente é imaterial e incorpórea”.
“Terceira: e apesar de imaterial, pode agir sobre a matéria e impressiona nossos órgãos sensíveis.”
“Quarta: e, por conseguinte, servindo-se de meios desconhecidos, pode afetar ou realmente se revestir de um corpo semelhante ao nosso ou servir-se de elementos capazes de produzir direta ou indiretamente todos os fenômenos da vida orgânica”.

Obviamente por causa de todas essas conclusões, o padre Landell foi visto com muita simpatia pelos espiritistas, dado a similitude com alguns fundamentos da fé espírita, embora tivesse ele a fé católica, e disso fez constantes afirmações para dIrimir quaisquer dúvidas a respeito de sua fé religiosa, mas é claro que alguns de seus superiores não o viam com bons olhos.

Conta o escritor B.Hamilton de Almeida, um de seus biógrafos, à página 50 do livro ” Landell de Moura” da coleção ” Esses Gaúchos”, que entrevistando um de seus coroinhas, Berti, que um dia padre Landell disse durante a missa: ” …- ontem, à meia noite, na Itália, estourou uma revolução de empregados querendo aumento de salário.” Todos comentaram: Como é que ele pode dizer isso? – Esse padre é mesmo louco. Dois ou três dias depois, o tempo necessário para uma noticia vir da Europa, naquela época, a notícia da revolução dos assalariados chegava ao jornal. Isto indica que provavelmente seria o padre Landell dotado de um dom de precognição, ou seria um telepata. Existe ainda um relato interessantíssimo, no livro, que inicialmente pensei ser algo que o escritor B.Hamilton teria fantasiado, tanto que o interpelei pessoalmente para tirar dúvidas:

Diz B.Hamilton de Almeida, que Berti, o coroinha, que Landell carregava uma misteriosa caixinha em seu bolso e quando ia rezar as missas ele a colocava sobre o altar, sendo que de vez em quando saia uma voz dessa pequena caixinha. Landell parava de rezar a missa e conversava com a tal caixinha. Feita a comunicação voltava a rezar a missa. Isto sugere algo inverossímel, para alguém em plena posse de suas faculdades mentais, mas em fim este foi o relato do coroinha. Muitos vêem na tal caixinha um possível aparelho de Transcomunicação, já que Landell foi o inventor do Telefone Sem Fio, que operava com luz, sendo que esses fenômenos são estudados hoje no mundo todo e inclusive aprovado seu estudo pelo próprio vaticano. O padre François Brune na França já publicou vários livros a respeito, um deles com o sugestivo título ” Os mortos nos falam….”.

Padre Landell é mesmo misterioso, e por causa de tudo isso polêmico.Seu laboratório: seu intelecto; sua inspiração: divina; sua oficina a sacristia. Não era um homem de ciência concebido como alguém dentro de um laboratório a fazer pesquisas. Cientista, filósofo, religioso. Aconselhado a abandonar a batina para dedicar-se à ciência negou-se a fazê-lo. Negou para respeitar o seu voto e a maior aspiração dos seus pais. Por essa atitude avalia-se como era sua fé e seu inflexível caráter.

Um pouco antes de sua morte ocorrida a 30 de junho de 1928 disse: ” TUDO ISSO QUE ANDA AÍ NO AR, EU TENHO GUARDADO, E LEVAREI PARA O TÚMULO”. A pergunta é… o que é que andava por aí no ar, que só ele sabia e levaria para o túmulo? A essa data o rádio já andava bem desenvolvido… Que mais ainda não sabiam, ou ainda não sabemos? – Provavelmente alguma descoberta que ele não ousaria revelar porque alguns não estariam preparados para assimilar e porque já não teria saúde suficiente para resistir aos opositores, defendendo sua tese.

LANDELL DE MOURA E SEUS ESTUDOS DE BIOENERGIA

Ignácio Landell de Moura contou que quando seu tio morreu, achou, nos seus pertences, “Uma caixa cheia de coisas e uma porção de chapas fotográficas”. Mandou ampliar as fotos e viu “coisas misteriosas”, que não soube explicar o que era. Inocente, levou todo aquele material a um padre que imediatamente o recolheu e nunca mais o devolveu, alegando que aquilo poderia “comprometer a igreja”. Talvez estas fotografias ainda estejam de posse da igreja em algum lugar, mas Ignácio fez buscas e não conseguiu obter nenhuma informação consistente, mesmo décadas após o falecimento de Padre Landell (Livro: Landell de Moura – B.Hamilton Almeida).

É possível que estas fotos fossem o que já foi chamado de fotos Kirlian, e que hoje justamente em homenagem ao padre Landell de Moura aos seus pioneiros estudos nesta área de conhecimento, este tipo de foto é chamada de foto bioeletrográfica, ou cujo estudo é chamado de Bioeletrografia. Porque essa inferência, qual seja a de concluir que embora não se tenha esta máquina de fotografar como prova, se possa concluir que ele construiu algum dispositivo com esse objetivo? Já discutiremos isso começando pelos apontamentos do caderno “A”.

Não se têm também os protótipos de seus aparelhos que foram construídos nos Estados Unidos para obtenção das patentes do Transmissor de Ondas, do Telefone Sem Fio e do Telégrafo Sem Fio, obtidas em 1904, nos EE.UU.

Em seus estudos padre Landell descobriu uma forma de energia que circunda os corpos dos seres vivos, a qual ele chamou de PERIANTO e que deixa claro que ele construiu um dispositivo, que permitiu fotografar o fenômeno.Vejamos os enunciados relativamente ao que ele chamou de PERIANTO, ( o que está em torno do homem).

Em seu caderno “A” de apontamentos está escrito:

1) Todo o corpo humano está como que envolvido de um elemento de forma vaporosa, mais ou menos densa, segundo a natureza ou estado do individuo ou ambiente em que ele se acha. Esse elemento quando adquire uma tensão capaz de vencer os obstáculos que se opõe à sua expansão, escoa do corpo humano sob a forma de descargas dirsruptivas ou silenciosas, tal qual como sucede coma a eletricidade. E os fenômenos que nestas ocasiões se dão, têm muita analogia com os elétricos estáticos e dinâmicos, com relação aos outros corpos semelhantes.
2) Pelo que cheguei à conclusão de que se trata de um fenômeno que constitui uma variedade dos fenômenos produzidos pela eletricidade ou pela causa da eletricidade, do calor, da luz, etc..
3) Em todo caso, para facilitar o estudo do elemento “R” que existe no corpo humano atribuo-o ao PERIANTO, porque como o seu nome está dizendo, ele é um efeito do elemento R, como a tensão elétrica é um efeito da eletricidade que se acumula em volta dos condutores.
4) Não posso atribuí-lo à eletricidade existente no corpo humano, porque, como veremos em outros lugares, se de um lado oferece muita analogia com a eletricidade, por outro lado apresentava-se com certas e determinadas características que me obrigaram a distingui-lo, ou dar-lhe o nome de Perianto ao efeito e à causa do elemento “R”, isto é, da vida de relação entre o psiquismo superior e o inferior.
5) O PERIANTO é por si INVISIVEL,mas por intermédio de certas luzes pode tornar-se VISÍVEL e até mesmo ser FOTOGRAFADO , se usarmos ou intercalarmos entre o corpo, cujo perianto estudamos e a luz especial, uma prancha ou papel apropriado.
6) Um pequeno animal, preferivelmente de pelo curto, posto nestas circunstâncias e dentro de um tubo apropriado, se mediante uma máquina de vácuo, ver-se-á que, quando o animal permanecer quieto, em estado de agonia, que na prancha se desenhará, sob forma vaporosa a figura do animal. Ver-se-á mais que ao expirar o mesmo, essa forma vaporosa ELEVAR-SE-Á na prancha.
7) Poder-se-á ver também diretamente quando, mediante certas luzes, se puder conseguir o fenômeno da INTERFERÊNCIA DE RAIOS. E há casos em que, quando a condensação se torna bem densa, com certas e determinadas luzes, removendo o animal, no lugar em que ele se achava, permanecerá, por instantes o seu PERIANTO, formando um DUO com ele, que, não raras vezes, em vez de se apresentar sob a forma branca vaporosa, se mostra COMPACTO e COLORIDO, com as cores naturais do animal, devido também à luz. O que prova que o PERIANTO é devido a uma vibração de um elemento mais sutil que o ar.

Bom, vemos que Landell fotografou o perianto, disso não temos dúvida, ele o declara. Quais métodos poderia ter utilizado? Não temos a tal máquina, mas sabemos que ele utilizou uma bobina de Ruhmkorff em seu Transmissor de Ondas, um gerador de alta tensão. Esse seria um possível meio que teria utilizado, pois sabemos que Semyon Kirlian (1939) também gerou um campo alternado de alta tensão, para obter sua foto e é também possível observar como efeito das altas freqüências geradas nas bobinas de Tesla. Hoje temos máquinas mais sofisticadas, utilizando tecnologia de nosso tempo, como as utilizada pelo brasileiro Newton Milhomens, o russo Konstantin Korotkov, e alemão Peter Mandell que fotografam o “Perianto” de Landell de Moura e cuja correta interpretação das fotos, de acordo com os padrões de interpretação criados por cada um destes pesquisadores, podem auxiliar no diagnóstico de algumas enfermidades e que na Rússia é aceito como meio legal pelo ministério de saúde russo.

Infelizmente não se têm todas as anotações científicas de Landell. No caderno “A” onde está a teoria suporte do “Perianto” estão faltando 16 misteriosas páginas… Quais informações nelas estariam contidas que não ficaram para testemunhar o seu conteúdo… ? Padre Landell considerava já a seu tempo o pensamento como um fenômeno energético ondulatório. O Brasil deve um tributo a Landell de Moura e espero que um dia quando for mais estudado e compreendido justiça lhe seja feita! Seu nome ainda não é lembrado como deve.

Prof.Luiz Netto
Graduado em Matemática pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Santo André.
Estudioso e divulgador da vida e obra de Landell de Moura.

Para saber mais sobre Roberto Landell de Moura, visite o site:
http://www.rlandell.hpg.ig.com.br/

Menu